quarta-feira, 30 de setembro de 2015

TINASHE BRASIL AQUARIUS

FALA GALERA...A NOVA REVELAÇÃO DO POP É A AUDACIOSA TINASHE,ELA FICOU MUITO POPULAR APOS FAZER O PAPEL DA CELESTE NA SÉRIE HUMORÍSTICA DOIS HOMENS E MEIO - Two and a Half Men. JÁ EM 2014 LANÇOU SEU PRIMEIRO DISCO INTITULADO: AQUARIUS,E DEPOIS DE ABRIR SHOWS DE GRANDES ARTISTAS COMO O DA KATY PERRY NO BRASIL,TINASHE VEM AGREGANDO CADA DIA MAIS FÃS PELO MUNDO,ENTÃO CONHEÇAM MELHOR ESSA NOVA ESTRELA DO POP CONTEMPORÂNEO,ESSA É A TINASHE...
Tinashe Jørgensen Kachingwe, ou somente Tinashe nascida em Lexington, em 6 de fevereiro de 1993. É uma atriz, cantora e dançarina estadunidense. Seu nome significa: "Deus está conosco" na língua nativa de seu pai, a língua chona, do Zimbabwe. Criada em Los Angeles, Califórnia, começou sua carreira no entretenimento com 3 anos de idade, quando ela começou a ser modelo e atuar. Em 2012, Tinashe lançou dois mixtapes aclamados pela crítica, no caso, "In Case We Die" (2012) e "Reverie" (2012), que ela criou em seu estúdio em casa. Após o lançamento das mixtapes, Tinashe assinou contrato com a RCA Records. Ela lançou seu terceiro mixtape "Black Water" (2013) e lançou seu primeiro álbum solo "Aquarius", em 7 de outubro de 2014. Tinashe lançou seu primeiro single "2 On", em janeiro de 2014 A canção viveu como a canção #1 no rádio por mais de quatro semanas e atualmente tem um pico no número 24 sobre os Billboard Hot 100, tornando-se seu primeiro single top 40 hit. Além de música, Tinashe é conhecida por sua atuação. Tinashe fez sua estréia como atriz no filme para televisão, Cora Unashamed (2000). E também apareceu no filme O Expresso Polar com o ator Tom Hanks, e em 2008-2009, Tinashe teve um papel recorrente no seriado americano Two and a Half Men como a namorada de Jake, Celeste. Em entrevista a revista Billboard, Tinashe disse que suas inspirações são mulheres fortes e apontou Sade, Janet Jackson, Britney Spears e Christina Aguilera como suas maiores inspirações.
ENFIM GALERA...GUARDEM BEM ESSE NOME.POIS TINASHE VEM PRA FICAR NO POP MODERNO. MAS SE VCS AINDA NÃO ESCUTARAM O SOM DELA,TA AI ALGUNS DE SEUS MELHORES E DANÇANTES VIDEOCLIPES,VLW GALERA ATE:

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

FOTOGRAFIAS DE ELESSANDRO DE ALMEIDA PVAÍ

Fala Galera...Meu Nome é Elessandro de Almeida,Sou Fotógrafo de Paranavaí - PR...O primeiro núcleo de colonização de Paranavaí surgiu em 1930, com a antiga Fazenda Montoya. Naquela época, grandes negociações de terras foram feitas no Paraná, fazendo com que a economia do estado crescesse. Na época da Revolução liderada por Getúlio Vargas, na década de 30, o governo começou a retomar as concessões de terras feitas a proprietários contrários ao novo regime. Aos que apoiavam Getúlio, foram feitos grandes investimentos. A Fazenda Brasileira tinha como proprietários Lindolfo Collor de Mello e Landulfo Alves, duas personalidades públicas ilustres da época. Collor era o ministro do Trabalho de Getúlio Vargas e Alves o interventor Federal do estado da Bahia. Foram plantados na Fazenda Brasileira 1 milhão de pés de café, absorvendo a mão-de-obra da Fazenda Montoya, que se esvaziou. Em 1931, o governo se apropriou das terras da Fazenda para colonização. O estado loteou a imensa área. A atividade cafeeira que estava em alta foi prejudicada pelo início da colonização, por causa da burocracia para a legalização das terras. Vieram para a região principalmente colonos japoneses e portugueses, libaneses, espanhóis e alemães. A única ligação que o povoado tinha era uma rodovia em direção ao estado de São Paulo.
O interventor Manoel Ribas determinou a abertura de uma ligação com o município de Arapongas, que foi melhorada em 1939. Após 1944, o povoado foi rebatizado como Colônia Paranavaí. Em 14 de dezembro de 1951 foi criado o município de Pvaí e no ano seguinte, foi instalada oficialmente a sede do município, em 14 de dezembro de 1952. O primeiro prefeito foi José Vaz de Carvalho. Antes da colonização, Pvaí era totalmente coberta por uma exuberante variedade vegetal da Mata Atlântica, que cobria todo o estado. Com os ciclos econômicos da pecuária e do café, a mata original foi praticamente erradicada do município. Hoje restam apenas 2% da vegetação nativa. Para mudar esse quadro, nos últimos cinco anos foram plantadas cerca de 610 mil mudas, cobrindo cerca de 250 hectares. A política de reflorestamento continua na cidade, com a participação de crianças de todas as escolas do município.
Os rios do município também estão sendo recuperados com a reconstituição das matas ciliares. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente, o Instituto Ambiental do Paraná e o Ibama estão fiscalizando a bacia hidrográfica do Rio Paraná na região, assegurando a preservação dos mananciais. Esses órgãos desenvolvem projetos para o aumento da fauna fluvial e a limpeza dos leitos dos rios. Em Paranavaí, o meio ambiente é prioridade em qualquer ocasião. A instalação de empresas e a construção de novos prédios estão condicionadas à conservação do meio ambiente. O Bosque Municipal é um centro de educação ambiental, servindo de referência para a preservação do meio ambiente não só em Paranavaí, mas em toda a região. Com 119 estabelecimentos de ensino e duas universidades, Paranavaí é o pólo de educação para mais de 30 municípios do noroeste do Paraná e de outros estados. a população frequenta instituição de ensino, desde a pré-escola até a faculdade.
Os alunos de todas as idades têm direito ao passe livre, podendo utilizar gratuitamente o transporte coletivo para chegar até as escolas ou a universidade. Além disso, milhares de alunos das escolas rurais são transportados diariamente por carros da Secretaria Municipal de Educação. Com 19 cursos universitários, Paranavaí é o centro de educação superior da Região Noroeste. As duas universidades existentes na cidade atendem a população de toda a Região Noroeste, Sul de São Paulo e Mato Grosso do Sul. As universidades estão em plena expansão, com a previsão de novos cursos. O Femup - Festival de Música e Poesia de Paranavaí,é o maior evento cultural da região, além de ser o único festival a contar com apresentações musicais, declamações, concurso de contos e poesias. O Femup reúne artistas de todo o Brasil.
Paranavaí conta com uma variedade enorme de artistas plásticos. O artista Roberto Pereira da Silva, conhecido nacionalmente como Persil, é o maior expoente da cidade. Paranavaí conta com a única Mostra Anual de Artes Plásticas da região. Artistas plásticos de todo o país participam da Bienal de Artes Plásticas.  Destaque no cenário musical brasileiro, o Grupo Gralha Azul é um patrimônio cultural de Paranavaí. Levando a musicalidade e as histórias da região a todo o país. Gralha Azul tem uma longa e bem sucedida carreira. A Fundação Cultural de Paranavaí também mantém outros músicos, como a Orquestra de Sopros, e o Coral Viva Voz, grupo vocal com repertório popular variado. Paranavaí conta com dezenas de atores e diretores teatrais, em diversos grupos de artes cênicas. Um moderno teatro, instalado no Centro Cultural de Paranavaí, é o referencial da região para espetáculos teatrais. A cidade também conta com escritores e poetas de renome.
O poeta Altino Afonso Costa publicou recentemente o livro de poesias Buquê de Estrelas. Paulo Campos também escreve poesias, destaque para o livro Memórias de Luta. O escritor Sérgio Rubens Sossella, publicou livros como Poeta de Casa Ardendo. O Atlético Clube Paranavaí, chamado carinhosamente de Vermelhinho pela torcida, é uma das maiores paixões do povo da cidade. O clube atrai milhares de torcedores em todos os jogos. O quartel-general do Vermelhinho, o Estádio Waldemiro Wagner, possui capacidade para cerca de 30 mil espectadores, sendo o maior da região. Outra paixão dos torcedores é o time de futsal da São Lucas. O time, que existe desde 1980, é um dos destaques no cenário estadual. Entre os títulos conquistados, o São Lucas foi campeão geral do campeonato paranaense de futsal. O São Lucas é composto por atletas que competem em diversas categorias, de crianças a adultos, amadores e profissionais. Paranavaí possui dois Centros de Excelência para a descoberta de novos talentos no vôlei e no handebol. Duas quadras padronizadas e instrutores graduados servem de apoio para o destaque de novos atletas. E atletas de Paranavaí participam de competições em todo o Brasil. Paranavaí também é um celeiro de novos talentos no atletismo e na natação.
Assim como acontece na Educação, Paranavaí é o pólo para o atendimento médico dos municípios do noroeste do Paraná. Para isso, a cidade conta com um Centro Regional de Especialidades, com consultas nas mais variadas áreas da medicina. O município também possui um Hemonúcleo Regional, atendendo a uma população de aproximadamente 300 mil pessoas. Os dois centros fazem parte do Consórcio Intermunicipal de Saúde dos municípios do noroeste. Centenas de clínicas e hospitais fazem de Pvaí centro de referência para a saúde da região. Com ambulatórios de ortopedia, ginecologia, obstetrícia, maternidades, UTI e leitos suficientes para o atendimento de toda a região, a cidade recebe dezenas de ônibus com pacientes diariamente. Com os investimentos, Pvaí se torna um pólo de especialidades médicas, com capacidade de realização para qualquer procedimento de saúde, com clínicas atendendo as mais variadas especialidades médicas. A agropecuária continua sendo alavanca que impulsiona o crescimento da cidade.
Pvaí possui uma intensa atividade agrícola. A produção de mandioca abastece dezenas de farinheiras e fecularias. Milhares de toneladas de mandioca são processadas por dia no município. Pvaí é o maior produtor estadual de mandioca. A citricultura é outra marca da cidade, que ficou conhecida como a "capital da laranja". Pvaí é o segundo município do estado em produção de frutas, com 17% das 750 mil toneladas anuais. A cidade conta com duas indústrias processadoras de laranja, que produzem suco concentrado para exportação, principalmente para a Europa. O noroeste do Paraná possui 36% do rebanho bovino do estado, estimado em 9,7 milhões de cabeças. A região detém quase 60% de todos os frigoríficos do Paraná. Os frigoríficos de Pvaí também exportam a maior parte de sua produção para Europa. A cidade também se destaca na produção de leite e derivados. Pvaí é responsável ainda por 6% de todo o leite produzido no estado. A atividade agroindustrial cresceu sensivelmente em Pvaí. O crescimento no setor garantiu ao município a quarta posição no ranking das cidades com maior oferta de emprego no estado. A partir de projetos da Prefeitura, foi criada a ADAP (Associação de Desenvolvimento da Agroindústria de Pvaí), que reúne dezenas de micro-empresários da agroindústria, gerando milhares de empregos.

domingo, 27 de setembro de 2015

CANTORA FLORENCE WELCH BRASIL #FLORENCEandMACHINE

FALA GALERA...O REINO UNIDO É O PAIS MAIS MÍSTICO QUE EXISTE NA TERRA,E NÃO É ATOA QUE AS INFLUÊNCIAS MÍSTICAS ,INSPIRAM SEUS HABITANTES,E FAZEM COM QUE CANTORAS COMO ENYA SEJAM ÚNICAS NA MUSICA ,E FAMOSA NO MUNDO TODO,E DEPOIS DE ENYA A CANTORA MAIS MÍSTICA DA MUSICA É COM CERTEZA FLORENCE WELCH,A VOCALISTA DA BANDA FLORENCE AND THE MACHINE...ALEM DA VOZ PERFEITA, É INCRÍVEL COMO ESSA MULHER CONSEGUE FAZER UM TEATRAL SHOW A CADA CANÇÃO,NORMALMENTE OS CANTORES SÓ CONSEGUEM LEVANTAR A GALERA COM A MUSICA DE TRABALHO,MAS FLORENCE AGITA O PUBLICO O TEMPO TODO UMA DAS MELHORES PRESENÇA DE PALCO DE TODOS OS TEMPOS DA MUSICA GLOBAL,ELA JA VEIO AO BRASIL SE APRESENTAR,E ONDE JÁ TEM UMA LEGIÃO DE FÃS DE SUAS MÁGICA CANÇÕES,EM ENTREVISTA FLORENCE PARECEU CHOCADA COM A SUA FAMA AQUI NO BRASIL,E NÃO ACREDITOU EM VER,QUANDO TODO MUNDO SABIA CANTAR AS SUAS MUSICAS NOS SHOWS.POR SUAS EXCÊNTRICAS ROUPAS E PERFORMANCES AO VIVO,DEU A FLORENCE O APELIDO DE "FADA DO POP",ENTÃO CONHEÇAM MELHOR ESSA ENCANTADA CANTORA BRITÂNICA...
Florence Leontine Mary Welch nascida em Londres, Inglaterra, em 28 de agosto de 1986. É uma cantora, compositora e percussionista britânica vocalista da banda indie-rock Florence and the Machine.É filha de Evelyn Welch, professora de estudos renascentista e vice-diretora para pesquisa e assuntos internacionais na Universidade de Londres Queen, uma universidade especial para Judeus. Mary, e Nick Welch um executivo da publicidade. Evelyn é também sobrinha do comediante Craig brown. Nick Welch contribuiu com "o elemento rock and roll na família", quando ele tinha seus 20 anos ele costumava andar pelas redondezas de West End em Londres e frequentava em um pub, o Squatters Ball, organizado por Heathcote Williams onde a banda 101ers costumava tocar. Nascida em Londres Florence foi educada na Thomas's London Day School, depois na Alleyn's School, onde ela foi academicamente muito bem. Florence teve alguns problemas na escola por ter o costume de ficar cantarolando de improviso. Florence teve diagnósticos de dislexia e dismetria, ela também sofreu de depressão e insônia. Depois de terminar a escola Florence se graduou na Camberwell College of Arts antes de se focar totalmente na música. A fascinação de Florence pelo terror e ruína se intensificaram com a morte de seus avós. Com 10 anos Florence testemunhou a deterioração de seu avô, e sua avó materna, também uma historiadora da arte, cometeu suicídio quando Florence tinha 14 anos. Quando Florence tinha 13 anos, ela e sua mãe foram morar com seu vizinho e seus três filhos adolescentes.
Florence and the Machine é o nome artístico da cantora inglesa Florence Welch em colaboração com outros músicos. O som da banda Florence and The Machine tem sido descrito como uma combinação de vários gêneros, incluindo rock, indie, folk e soul. The Machine (A máquina) é o nome atribuído a banda de apoio de Florence, composta essencialmente de músicos instrumentistas, que variam dependendo das necessidades sonoras das performances realizadas. No entanto esse apelido surgiu de sua relação de amizade com Isabella "Machine" Summers. Florence e Isabella se apresentavam juntas com os nomes de Florence Robot/Isa Machine (Florence Robô/Isa Máquina). Mais tarde isso foi abreviado para Florence and The Machine por parecer menos complicado.Florence continuou usando esse nome para sua banda mesmo quando Isabella Summers deixou de fazer parte da banda por um tempo, mais tarde Summers voltou a banda e se tornou a tecladista permanente da mesma. Como muitas cantoras solo, Florence conta com um grupo de músicos permanentes para fazer parte dos seus shows. A lista de músicos inclui Robert Ackroyd (guitarra e voz de fundo), Chris Hayden (bateria e percurssão), Isabella Summers (teclado e voz de fundo), Mark Saunders (baixo) e Tom Monger (harpa). Florence enaltece sua banda por entender seu processo criativo, dizendo: " Eu trabalho com muitos deles há muito tempo e eles conhecem meu estilo, sabem o jeito que eu componho, eles sabem o que eu quero." A banda tem recebido muitos elogios do meio musical, especialmente da BBC, antes eles só tinham reconhecimento no circuito alternativo. Especificamente o canal BBC teve grande importância na divulgação da banda para o grande público promovendo a banda no programa 'BBC Introducing'. O álbum de estréia da banda, intitulado 'Lungs', foi lançado no dia 6 de Julho de 2009, e se manteve na posição número dois nas suas primeiras cinco semanas no UK Albums Chart. Em 2010 o álbum chegou ao topo depois de ficar na lista UK Albums Chart por vinte e oito semanas consecutivas.
ENFIM GALERA...ESSAS CANTORAS QUE SE ACHAM DIVAS DO POP TEM MUITO O QUE APRENDER COM ELA,MAS INFELIZMENTE COMO SO CANTORES AMERICANOS GANHAM PRÊMIOS DE MUSICA MUNDIAIS,ELA NÃO TEM O RESPEITO QUE MERECE AINDA,MAS COM SUAS APRESENTAÇÕES ÚNICAS FLORENCE JÁ CONSIDERADA UM ÍCONE DE MODA EM TODO MUNDO,MAS ELA FAZ POR MERECER,NÃO ADIANTA COLOCAR UMA PARABÓLICA NA CABEÇA E NÃO CANTAR NADA COMO OUTRAS POR AI...FLORENCE SIM PODE SE CONSIDERAR UMA CANTORA DE VERDADE,E É COM CERTEZA A MELHOR REVELAÇÃO DA MUSICA MUNDIAL,FIQUEM AI COM OS MÁGICOS VIDEOCLIPES QUE FEZ FLORENCE AND THE MACHINE ENCANTAR O MUNDO COM SUAS CANÇÕES,VLW GALERA ATE.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

O SEGREDO DE MARIA MADALENA O EVANGELHO DE MARY MAGDALENE

Fala Galera...Já é comprovado que Ela Nunca foi Prostituta, e mesmo Ela sendo a Primeira Pessoa que Jesus Cristo Apareceu após sua morte e Ressurreição. Maria Madalena ou Mary Magdalene é a personagem mais Misteriosa e Excluída da bíblica. Mas os últimos achados podem revelar o Porquê à Poderosa Igreja Cristã Deseja tanto o seu esquecimento no Cristianismo Moderno. O Evangelho de Maria Madalena é um texto gnóstico encontrado no Codex Akhmin, que foi adquirido pelo Dr. Carl Rheinhardt na cidade do Cairo em 1896. O evangelho foi publicado somente em 1955, após o aparecimento da Biblioteca de Nag Hammadi. Os outros textos do Codex Akhmim também constavam entre os de Nag Hammadi, mas não este Evangelho. Nesta cópia única do texto, faltam as páginas 1 a 6 e 11 a 14. Tem sido sugerido por especialistas tratar-se de um evangelho de Maria de Magdala, e assim passou a ser conhecido por esse nome, pelo fato de seu último nome ser mencionado no texto. A favor dessa interpretação teríamos o fato de, nos evangelhos sinóticos, ela constar como a discípula que mais seguiu Jesus de perto,e aquela a quem Jesus teria aparecido primeiro após sua ressurreição. O texto sobrevive em dois fragmentos gregos do século III e numa tradução mais longa datada do século V, nos quais o testemunho de uma "Mulher" precisou pela primeira vez ser defendido. Todos esses manuscritos foram, primeiro descobertos e depois publicados entre 1938 e 1983, mas existem referências patrióticas ao Evangelho de Maria tão antigas como do século III. No texto fragmentado, os discípulos fazem perguntas sobre o Salvador elevado e recebem respostas. Depois eles se lamentam, dizendo: Como poderemos ir aos gentios e pregar o Evangelho do Reino do Filho do Homem? Se nem Ele foi poupado, como o seremos nós? E Maria os incita a ter coragem: Vamos antes louvar sua grandeza, pois Ele nos preparou e tornou-nos homens. Depois ela traz uma visão do Salvador que ela tinha tido e relata a sua conversa com Ele, o que mostra influências Gnósticas.

 
A visão dela não encontra aprovação dos Apóstolos: 
Mas André respondeu e disse aos irmãos: 'Digam o que vocês pensam com respeito ao que ela disse. Pois eu não acredito que o Salvador tenha dito isso. Pois certamente tais ensinamentos são de outras idéias. 

Pedro também se opôs a ela com relação a esses assuntos e perguntou-lhes sobre o Salvador: - Teria ele, então, falado secretamente a uma mulher de preferência a nós e não abertamente? Devemos nós voltar e escutá-la? Terá Ele preferido ela a nós ?
  
Uma grande parte do fundamento é expressa como um diálogo entre Maria e os discípulos onde Maria é a pessoa que responde às perguntas. Após a partida de Jesus, conforme o texto, a autoridade da igreja foi dada a Maria Madalena, indicando que o texto se tenha originado em uma corrente que tinha em Maria sua fundadora e a considerava mais importante que os outros apóstolos. Parte desse favorecimento da única discípula conhecida pode ter sido devido à sua habilidade como mulher de representar a importante figura de companhia feminina de Cristo, conforme o evangelho gnóstico mostra. Quem se debruça sobre esse "Evangelho" há de ter em conta a natureza gnóstica da obra,a exemplo dos Evangelhos de Felipe e Tomé. E que ela muito provavelmente reflete conflitos de seu tempo. É também provável que a obra seja uma colagem de dois textos. O segundo texto exibe o confronto entre Pedro e Maria, refletindo a tensão entre os gnósticos e um cristianismo masculinizado, em fase de consolidação. Nesse cristianismo católico, a figura emblemática de Pedro já se ergue para respaldar a primazia do Bispo de Roma, que depois se chamaria Papa.
 
Há dois detalhes no exame desse "Evangelho" que se Destaca: 
Madalena é mostrada como uma discípula do Mestre, o nome Jesus também não é explicitado, em condição até superior a dos demais discípulos, porque certos ensinamentos que Pedro e seus companheiros não conseguem captar. Mas, ao contrário do que se lê nos Canônicos, onde a condição de Apóstolo decorre de conviver com Jesus, Maria a conquista por uma "via paulina": é através de uma visão que ela é distinguida pelo Mestre. Os ensinamentos secretos que ela recebe do Mestre constituem uma autêntica aula de Gnosticismo, atestando que longe de pretender ser um relato de fatos, a obra é essencialmente proselitista. Sendo a Gnose uma doutrina que se expressa por símbolos, haveria razões para se admitir que a figura feminina desse Evangelho, que guarda traços da Madalena dos Canônicos, encarna o conceito de Sophia,que, em Felipe é chamada de "a estéril", mais precisamente a centelha anímica existente em cada ser humano, e única capaz de se comunicar com os planos espirituais, para receber a verdadeira Gnose libertadora. 

= O Evangelho Segundo Maria Madalena 

Salvador disse: Todas as espécies, todas as formações, todas as criaturas estão unidas, elas dependem umas das outras, e se separarão novamente em sua própria origem. Pois a essência da matéria somente se separará de novo em sua própria essência. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça.

Pedro lhe disse: Já que nos explicaste tudo, dizer-nos isso também: o que é o pecado do mundo?" Jesus disse: "Não há pecado ; sois vós que os criais, quando fazeis coisas da mesma espécie que o adultério, que é chamado 'pecado'. Por isso Deus Pai veio para o meio de vós, para a essência de cada espécie, para conduzi-la a sua origem. 

Em seguida disse: Por isso adoeceis e morreis... Aquele que compreende minhas palavras, que as coloque-as em prática. A matéria produziu uma paixão sem igual, que se originou de algo contrário à Natureza Divina. A partir daí, todo o corpo se desequilibra. Essa é a razão por que vos digo: tende coragem, e se estiverdes desanimados, procurais força das diferentes manifestações da natureza. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça."

Quando o Filho de Deus assim falou, saudou a todos dizendo: "A Paz esteja convosco. Recebei minha paz. Tomai cuidado para ninguém vos afaste do caminho, dizendo: 'Por aqui' ou 'Por lá', Pois o Filho do Homem está dentro de vós. Segui-o. Quem o procurar, o encontrará. Prossegui agora, então, pregai o Evangelho do Reino. Não estabeleçais outras regras, além das que vos mostrei, e não instituais como legislador, senão sereis cerceados por elas." Após dizer tudo isto partiu.

Mas eles estavam profundamente tristes. E falavam:"Como vamos pregar aos gentios o Evangelho ao Reino do Filho do Homem? Se eles não o pouparam, vão poupar a nós?" Maria Madalena se levantou, cumprimentou a todos e disse a seus irmãos: "Não vos lamentais nem sofrais, nem hesiteis, pois sua graça estará inteiramente convosco e vos protegerá. Antes, louvemos sua grandeza, pois Ele nos preparou e nos fez homens". Após Maria ter dito isso, eles entregaram seus corações a Deus e começaram a conversar sobre as palavras do Salvador.

Pedro disse a Maria: Irmã, sabemos que o Salvador te amava mais do que qualquer outra mulher. Conta-nos as palavras do Salvador, as de que te lembras, aquelas que só tu sabes e nós nem ouvimos.

 
Maria Madalena respondeu dizendo:
Esclarecerei a vós o que está oculto. E ela começou a falar essas palavras: Eu disse ela, eu tive uma visão do Senhor e contei a Ele: 'Mestre, apareceste-me hoje numa visão'. Ele respondeu e me disse: 'Bem aventurada sejas, por não teres fraquejado ao me ver. Pois, onde está a mente há um tesouro. Eu lhe disse: 'Mestre, aquele que tem uma visão vê com a alma ou como espírito?' Jesus respondeu e disse: "Não vê nem com a alma nem com o espírito, mas com a consciência, que está entre ambos assim é que tem a visão.

E o desejo disse à alma: Não te vi descer, mas agora te vejo subir. Por que falas mentira, já que pertences a mim? A alma respondeu e disse: Eu te vi. Não me viste, nem me reconheceste. Usaste-me como acessório e não me reconheceste. Depois de dizer isso, a alma foi embora, exultante de alegria. De novo alcançou a terceira potência , chamada ignorância. A potência, inquiriu a alma dizendo: Onde vais? Estás aprisionada à maldade. Estás aprisionada, não julgues! E a alma disse: Por que me julgaste apesar de eu não haver julgado? Eu estava aprisionada; no entanto, não aprisionei. Não fui reconhecida que o Todo se está desfazendo, tanto as coisas terrenas quanto as celestiais. Quando a alma venceu a terceira potência, subiu e viu a quarta potência, que assumiu sete formas. A primeira forma, trevas, a segunda , desejo; a terceira, ignorância,a quarta, é a comoção da morte; a quinta, é o reino da carne; a sexta, é a vã sabedoria da carne; a sétima, a sabedoria irada. Essas são as sete potências da ira. Elas perguntaram à alma: De onde vens, devoradoras de homens, ou aonde vais, conquistadora do espaço? A alma respondeu dizendo: O que me subjugava foi eliminado e o que me fazia voltar foi derrotado...e meu desejo foi consumido e a ignorância morreu. Num mundo fui libertada de outro mundo; num tipo fui libertada de um tipo celestial e também dos grilhões do esquecimento, que são transitórios. Daqui em diante, alcançarei em silêncio o final do tempo propício, do reino eterno. Depois de ter dito isso, Maria Madalena se calou...

 
Mas André respondeu e disse aos irmãos: Dizei o que tendes para dizer sobre o que ela falou. Eu, de minha parte, não acredito que o Salvador tenha dito isso. Pois esses ensinamentos carregam ideias estranhas. Pedro respondeu e falou sobre as mesmas coisas. Ele os inquiriu sobre o Salvador: Será que ele realmente conversou em particular com uma mulher e não abertamente conosco? Devemos mudar de opinião e ouvirmos ela? Ele a preferiu a nós?. Então Maria Madalena se lamentou e disse a Pedro: Pedro, meu irmão, o que estás pensando? Achas que inventei tudo isso no mau coração ou que estou mentindo sobre o Salvador? Levi respondeu a Pedro: Pedro, sempre fostes exaltado. Agora te vejo competindo com uma mulher como adversário. Mas, se o Salvador a fez merecedora, quem és tu para rejeitá-la? Certamente o Salvador a conhece bem. Daí a ter amado mais do que a nós. É antes, o caso de nos envergonharmos e assumirmos o homem perfeito e nos separaremos, como Ele nos mandou, e pregarmos o Evangelho, não criando nenhuma regra ou lei, além das que o Salvador nos legou. E Depois que Levi disse essas palavras, eles começaram a sair para anunciar e pregar.
Enfim Galera...Tudo Leva a Crer,que Quem Realmente Fundou o Cristianismo No Mundo. Foi Maria Madalena e Não Pedro como afirma o Vaticano. E isso mudaria Por completo a Visão que Temos das Mulheres na Sociedade,Pois As Mulheres não seriam Submissas aos Homens,Elas seriam Exaltadas como as Mães são Hoje.Então Pesquisem e tirem suas próprias conclusões,Vlw Galera ate.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

OS CÁTAROS A SOCIEDADE SECRETA EXTINTA KATHARÓS

 
Fala Galera...Como Cristãos Fervorosos podem ter sido queimados vivos na fogueira a mando do próprio PaPa ?. Essa é a Trágica Historia dos Cátaros. Um povo que por renegar a Adoração Religiosa foram extintos da terra, dando origem a pior matança em massa que o mundo já teve, chamada de: INQUISIÇÃO. O Catarismo do grego katharós, que significa “puro". Foi um movimento cristão na Europa entre os anos de 1100 e 1200, ligado aos bogomilos da Trácia. Embora todos os Cátaros fossem Cristãos, O movimento foi tão forte no sul da Europa e na Europa Ocidental que a igreja Católica Romana passou a considerá-lo uma séria ameaça à religião ortodoxa. As principais manifestações do catarismo centralizavam-se na cidade de Albi, motivo pelo qual seus adeptos também receberam o nome de "albigenses". O catarismo teve suas raízes no movimento pauliciano na Armênia e no Bogomilismo na Bulgária que teve influências dos seguidores de Paulo. Em textos cátaros, os termos "homens bons" ou Bons Hommes, são os termos comuns de auto-identificação. A idéia de dois deuses ou princípios, sendo um bom outro mau, foi fundamental para as crenças dos cátaros. O Deus bom era o Deus do Novo Testamento e criador do reino espiritual, em oposição ao Deus mau que muitos cátaros identificavam como Satanás, o criador do mundo físico do Antigo Testamento. Toda a matéria visível foi criado por Satanás, e portanto foi contaminada com o pecado. Esse conceito é oposto à Igreja Católica monoteísta, cujo princípio fundamental é que há somente um Deus que criou todas as coisas visíveis e invisíveis. Os cátaros também pensavam que as almas humanas eram almas sem sexo de anjos aprisionadas dentro da criação física de Satanás amaldiçoado a ser reencarnado até os fiéis cátaros alcançarem a salvação por meio de um ritual chamado Consolamentum. Desde o início de seu reinado, o papa Inocêncio III tentou usar de diplomacia para acabar com o catarismo, mas em 1208, seu delegado Pierre de Castelnau foi assassinado quando voltava para Roma depois de pregar a fé católica no sul da França. Então o papa Inocêncio III declarou Pierre de Castelnau um mártir e lançou a Cruzada dos cátaros. As crenças dos cátaros não são claras, mas as teorias concordam que se originaram no Império Bizantino principalmente através da rota de comércio e da propagação da Bulgária para a Holanda e Espanha. O nome búlgaros (Bougres) também foi aplicado aos cátaros, e eles mantiveram associação com o movimento cristão do bogomilos (Amigos de Deus) da Trácia. Suas doutrinas têm inúmeras semelhanças com os dos bogomilos e mais cedo os paulicianos, assim como os maniqueístas e os cristãos gnósticos dos primeiros séculos depois de Cristo.
Mas É provável que tenhamos apenas uma visão parcial de suas crenças, porque os escritos dos cátaros foram em grande parte destruídos por causa da ameaça doutrinária percebida pelo papado. Muito dos nossos conhecimentos dos cátaros é derivado de textos de seus adversários. As conclusões sobre a ideologia dos cátaros continuam a ser ferozmente debatidas com comentaristas acusando seus adversários de especulação, distorção e preconceito. Existem alguns textos dos próprios cátaros que foram preservados por seus adversários. Um grande texto que sobreviveu O Livro dos Dois Princípios - Liber de duobus principiis, elabora os princípios da teologia dualista a partir do ponto de vista de alguns dos albanenses cátaros. O catarismo histórico não surgiu até pelo menos 1143, quando o primeiro relato confirmado de um grupo defendendo crenças similares é relatado ser ativo em Colónia pelo clérigo Eberwin de Steinfeld. Um marco na "história institucional" dos cátaros foi o Conselho de Saint-Félix, realizado em 1167 em Saint-Félix-Lauragais, com a presença de muitas figuras locais e também pelo "papa" do bogomilo, Nicetas, o bispo cátaro da França e um líder dos cátaros de Lombardia. Os cátaros, em geral, formavam um partido anti-sacerdotal em oposição à Igreja Católica, protestando contra o que consideravam ser a corrupção moral, espiritual e política da Igreja. Em contraste com a Igreja Católica, os cátaros, tinham apenas um sacramento, o Consolamentum, ou Consolação que envolvia uma breve cerimônia espiritual para remover todo o pecado do crente e empossar-lhe para o próximo nível superior como um perfeito. Ao contrário da Penitência católica romana, o Consolamentum só poderia ser tomada apenas uma vez. Assim, tem sido alegado que muitos crentes acabariam por receber o Consolamentum apenas quando a morte se aproximava, realizando o ritual de libertação num momento em que as obrigações pesadas de pureza exigidas para ser um perfecti seriam temporalmente curtas. Algumas das pessoas que receberam o consolamentum em seus leitos de morte podem, posteriormente, evitar comida ou bebida, a fim de acelerar a morte. Isso era chamado de endura. Os cátaros também recusavam o sacramento católico da Eucaristia dizendo que não poderia ser o corpo de Cristo. Eles também se recusaram a participar da prática de Batismo pela água. Sobre o batismo, afirmam que a água é material e corruptível, portanto é criação do mal, não pode santificar a alma, mas os clérigos vendem essa água por avareza, mesma forma que vendem a terra para o enterro dos mortos e o óleo para o doente para ungi-los e, assim também eles vendem a confissão dos pecados como fazem os sacerdotes. Alguns acreditam que a concepção cátara de Jesus se assemelhava ao monarquianismo. Os cátaros ensinavam que para recuperar o estatuto angelical a pessoa deveria renunciar completamente ao mundo material. Até que não estivesse preparado para fazê-lo,o cristão estaria preso em um ciclo de reencarnação, condenado a viver na Terra corrompida. Os supostos textos sagrados dos cátaros, além do Novo Testamento, incluem O Evangelho da Ceia Secreta, ou o Interrogatório de João e O Livro dos dois Princípios. Durante o concílio de Narbona, o Papa Gregório IX fez decretar a aplicação de penas muito duras a todos os simpatizantes e colaboradores do catarismo, que incluía perda sumária de bens patrimoniais e humilhantes surras em público.
No século 11, o povo de Languedoc, no sul da França repudiaram a Igreja Católica,por eles chamada de Igreja dos Lobos, e fundaram um cristianismo alternativo: o Catarismo. Os cátaros formaram a sociedade secreta mais “Popular” da Idade Média. Eles se julgavam herdeiros dos apóstolos e foram condenados por isso. A história dos cátaros teve um início obscuro. Em 1022, dois monges que nada tinham a ver com o movimento foram queimados vivos, acusados de adorar o Diabo. O bispo do condado de Toulouse, o maior da região de Languedoc, condenou a execução. Secretamente, ele e outros membros da Igreja já vinham discutindo idéias pouco ortodoxas. Acreditavam num Deus que era Puro Espírito. E que a criação era obra maléfica, não divina. No século 12, 4 paróquias de Languedoc abandonaram o credo católico, abraçando as novas idéias: Toulouse, Carcassone, Albi e Agen. Por causa das duas últimas, o movimento acabou sendo chamado também de albigense. A palavra “cátaro”,só entrou para o vocabulário medieval por volta de 1160, graças a um pregador católico da Renânia chamado Eckbert de Schönau detrator da seita. Segundo Alain de Lille, um teólogo francês do século 13, sua origem estaria na palavra catus (gato em latim), pois os seguidores da seita faziam coisas ignóbeis como beijar o traseiro de gatos. Os novos fiéis se autodenominavam bons hommes e bonnes femmes (bons homens e boas mulheres). Os padres se vestiam com hábitos negros. Rejeitavam o dogma da Santíssima Trindade e também os sacramentos, como o batismo, a eucaristia e o matrimônio. E viam com naturalidade o sexo fora do casamento. “Se a castidade não pudesse ser priorizada, era melhor manter encontros casuais do que regularizar oficialmente o Mal". A nova crença também arregimentou adeptos na Catalunha, na Alemanha, na Inglaterra e na Itália. Roma tentou conter o catarismo na base da conversa até meados do século 12. Quando o papa Inocêncio 3º assumiu, em 1198, a atitude da Igreja endureceu. Inocêncio suspendeu diversos bispos do sul da França. Em 1208, o representante eclesiástico Pierre de Castelnau excomungou um nobre de Toulouse. Em represália, foi assassinado. O incidente foi a gota d’água. No mesmo ano, o Vaticano autorizou uma guerra santa contra Languedoc. A primeira e última cruzada contra cristãos da história. No cerco a Béziers, em julho de 1209, 7 mil fiéis foram chacinados, entre eles mulheres e crianças. Em 1244, 200 cátaros foram queimados vivos numa grande fogueira nas redondezas da fortaleza de Montségur. A tortura era generalizada. O interrogador católico Guilhem Sais, certa vez, afogou uma mulher cátara num barril de vinho, pois ela não queria confessar seus supostos pecados. A Igreja precisou de décadas, mas conseguiu varrer os cátaros da face da terra. Mas no coração dos habitantes de Languedoc a seita sobreviveu. O povo daquela região em cidades como Montpellier e Toulouse eles viraram até Nome de Rua.
Os Cátaros afirmavam a igualdade entre mulheres e homens. E por isso foram vítimas de uma cruzada e alvo da Inquisição. Eles chegam à pequena vila sem causar nenhum alarde. Após percorrer centenas de quilômetros a pé, seus calçados se deterioraram. Têm a cabeça raspada e vestem-se de forma maltrapilha, com uma longa batina de cor negra presa por uma tira fina de couro. Após uma recepção praticamente inexistente, eles começam a ser reconhecidos e respeitados pela comunidade. Em pouco tempo, se tornarão líderes religiosos capazes de fazer frente à influência da poderosa Igreja Católica. No fim do século 12, se tornariam cada vez mais comuns na ampla região do Languedoc, da França. Cidade após cidade, os cátaros iam espalhando sua fé, baseada na simplicidade e na busca da pureza,pois katharos, em grego, significa puro. A religião nasceu do cristianismo, mas era marcada por profundas diferenças em relação às doutrinas do Vaticano. Acusados de heresia e até chamados de adoradores do diabo, os cátaros provocaram uma implacável reação do papado. O esforço para eliminá-los incluiu uma cruzada e foi um dos principais motivos para a criação do Tribunal do Santo Ofício mais conhecido como Inquisição. No século 14, cerca de 200 anos após o catarismo ter surgido, seus últimos representantes foram varridos do mapa. Para entender a intensidade da violência promovida pela Igreja Católica contra eles, é fundamental compreender como os cátaros foram capazes de conquistar os corações e as mentes medievais. E sua brutal eliminação é um dos exemplos mais bem acabados do incrível poder do papado no Mundo. O primeiro grupo cátaro conhecido apareceu na década de 1120, na cidade de Limousin. Logo eles chegaram a povoados próximos, como Albi, Toulouse e Carcassonne, sempre no Languedoc. A região, separada do resto do território francês pelas montanhas dos Pirineus, era governada pela dinastia dos Raimundos. Eram terras prósperas, fortes na agricultura e na indústria têxtil. À primeira vista, seria difícil prever que num local tão estável, e religioso pudesse surgir uma crença que desafiasse a Igreja. Mas, àquela altura, a sociedade medieval estava passando por importantes transformações. A Europa vivia uma fase de aumento populacional e melhoria das condições de vida, com o desenvolvimento das cidades medievais. No ambiente urbano, aumentava o contato entre as pessoas e a busca pelo conhecimento. Uma parcela da população começou então a refletir sobre várias questões, entre elas a própria fé. Na origem da expansão do cristianismo, que ocorrera cerca de nove séculos antes, estavam valores como a pobreza, o sofrimento pessoal e a sensação de unidade com Deus. Por volta do século 11, entretanto, a situação do clero não era exatamente essa. Por todo lado, construíam grandes edifícios religiosos, magnificamente ornamentados, alguns deles deram início ao estilo que ficaria conhecido como “gótico”, que caracteriza algumas das principais catedrais da Europa. Além disso, os sacerdotes cristãos sobretudo os bispos e seus representantes locais, os padres usavam os fartos recursos da Igreja para garantir a si mesmos uma vida tranqüila. A imagem típica do cristianismo, aquele Jesus magro, de olhar triste e agonizando na cruz, era apenas uma vaga recordação o perfil do clero estava mais próximo do bispo rechonchudo de roupas vistosas e dedos ornados com varias jóias. Diante das contradições da Igreja, a influência dos cátaros avançava rapidamente. 
 
Em 1167, alguns deles se reuniram no encontro que marcou o nascimento oficial da nova religião: o concílio de Saint-Félix-de-Caraman hoje Saint-Félix-Lauragais, no sul da França. Compareceram cátaros não só do Languedoc, mas de áreas mais distantes como a Lombardia na atual Itália, e a Catalunha hoje na Espanha. Muito pouco se sabe sobre o que ocorreu na reunião. Ela provavelmente foi presidida por um homem chamado Nicetas um cristão dissidente vindo de Constantinopla e apelidado de “papa” e organizou as bases do catarismo. Para os cátaros, o livro sagrado era a Bíblia em particular o Novo Testamento. Sua religião, entretanto, divergia muito do catolicismo. O princípio fundamental era o dualismo: segundo ele, o mundo seria composto de dois reinos opostos e coexistentes. O primeiro, comandado por Deus, seria invisível e luminoso, onde só existiria o bem. Já o segundo reino, material e visível, seriam controlados pelo diabo. Em outras palavras: segundo o catarismo, o inferno ficava na Terra. E o objetivo da vida humana seria escapar do mal através da purificação dos espíritos, reencarnação após reencarnação. Se isso fosse feito, quando chegasse o Juízo Final, todos se salvariam e iriam para o reino de Deus. Apesar de se considerarem cristãos, os cátaros não acreditavam que Jesus fosse filho de Deus. Ele era apenas considerado um profeta importante, que havia divulgado alguns ideais que mereciam ser seguidos. Assim como a teoria, a prática dos cátaros era bem diferente da dos católicos. Eles recusavam o ritual da hóstia sagrada, em suas cerimônias, bastante simples, havia apenas a repartição do pão. Tampouco aceitavam o papel subalterno que o papado romano reservava para as mulheres, para o catarismo o ser humano não admitia distinção entre sexos. A elas era permitido, inclusive, celebrar ritos religiosos. A autoridade do papa não era reconhecida pelos cátaros. Sem uma liderança espiritual única, eles dividiam os seguidores da religião em três níveis. O mais alto deles era o dos Perfeitos, também conhecidos como “bons homens”. Para chegar a esse posto, era preciso passar por duras provas e receber o Consolamentum, o único sacramento cátaro que resumia num só o batismo, a ordenação e a extrema-unção. Os Perfeitos eram celibatários e passavam grande parte dos dias em oração e jejum. Abaixo dos Perfeitos estavam os Crentes, categoria que reunia a grande maioria dos cátaros. Eles comungavam das práticas de virtude e humildade, mas não estavam obrigados a qualquer tipo de abstinência. Podiam casar, embora preferissem o concubinato e só tinham direito a receber o Consolamentum na hora da morte. O terceiro nível da sociedade cátara era composto pelos Ouvintes. Simpatizantes da religião, eles acompanhavam as palestras,e se curvavam perante eles para receber a bênção. Na virada do século 13, o avanço dos cátaros havia se tornado a maior preocupação da Igreja.
“Matem-nos todos. Deus saberá reconhecer os seus!” De acordo com alguns registros, foi com essas palavras que o abade Arnoldo de Amaury incitou à aniquilação total dos cátaros que se escondiam na fortaleza de Béziers, no Languedoc, em julho de 1209. Ela resume bem o espírito da sangrenta Cruzada Albigense graças à grande concentração de cátaros na cidade de Albi, eles também eram conhecidos como “albigenses”. A Igreja tentou combater o catarismo no campo da fé. Há relatos de que, entre 1165 e 1198, os cátaros foram perseguidos publicamente em locais como: Lombers (França), Colônia (Alemanha) e Oxford (Inglaterra). Para ouvir e julgar os hereges, a Igreja montou tribunais eclesiásticos. Graças à experiência dos cátaros como oradores, entretanto, eles se defenderam brilhantemente das acusações e viram sua fé ganhar status de religião. E o prestígio dos Cátaros saiu fortalecido. Diante da contínua perda de fiéis, o papa Inocêncio III decretou o confisco dos bens de todos aqueles considerados hereges. Sua vontade foi cumprida por todos os cantos da Europa. Exceto no Languedoc, onde os governantes se recusaram a agir contra os cátaros. A alternativa encontrada pelo pontífice foi montar uma verdadeira força-tarefa: ordenou que os clérigos se unissem aos pregadores dominicanos para, em conjunto, redobrar a batalha pela fé no Languedoc. Sacerdotes católicos se misturaram aos Perfeitos nas ruas, mas pouca coisa parecia mudar. Até que um crime selou o destino dos cátaros. Em 1208, o legado papal que era a figura máxima da hierarquia da Igreja na região, representante direto do pontífice, Pedro de Castelnau foi morto por alguns habitantes de Toulouse. Logo correu a notícia de que os assassinos eram supostamente cátaros. Inocêncio III teve então a deixa de que precisava. Em 10 de março, organizou uma cruzada liderada por Arnoldo de Amaury e pelo bispo Folquet de Marselha. No campo de batalha, o comando coube a Simão de Montfort, à frente de um exército com 10 mil homens. Além dos cátaros, o alvo da cruzada foram os principais nobres que davam proteção a eles: o conde Raimundo VI de Toulouse e o visconde Raimundo Rogério de Trencavel. O primeiro grande ataque, em Béziers, surpreendeu pela violência intensa e indiscriminada. Cátaros e católicos, todos foram massacrados pelos cruzados. Os cruzados não mostravam clemência. Mulheres e crianças amontoaram-se na igreja de Santa Maria Madalena, na parte alta da cidade. Deveriam ter sido à volta de mil, um cálculo baseado na capacidade da igreja. Fossem quantos fossem, a igreja estava apinhada de aterrorizados católicos e cátaros quando os cruzados derrubaram os portões e massacraram todos os que ali se encontravam. Em 1840, durante uma reforma do templo, várias ossadas foram descobertas sob o piso. Em Béziers, 20 mil pessoas foram mortas, praticamente toda a população da cidade. Depois disso, os cruzados destroçaram Carcassonne, Bram, Minerve, Termes e Lavaur, ignorando quaisquer tentativas de rendição. Como recompensa pelo extermínio dos hereges, os cruzados ganharam o perdão pelos seus pecados e puderam repartir entre si as riquezas e terras do Languedoc. A carnificina só parou em 1229, quando foi celebrado o tratado de paz de Meaux-Paris, entre Raimundo VII de Toulouse e o rei Luís IX da França. Inocêncio III morreu sem ter conseguido extinguir o catarismo. A tarefa coube a seu sucessor, Gregório IX, que assumira em 1227. Com a situação aparentemente controlada em termos militares, o papa teve uma idéia que seria decisiva para a história dos séculos seguintes. Em 1231, por meio da bula Excommunicamus, criou a Santa Inquisição. E a caça aos cátaros foi uma das principais razões para a novidade. Afinal, após anos de perseguição, eles haviam mudado sua maneira de agir. Agora, os Perfeitos misturavam-se à população, sem usar a tradicional veste negra. Para facilitar a identificação dos cátaros, a Inquisição empregava métodos sofisticados e sórdidos de interrogatório e investigação.
Enfim Galera...A última ação militar contra os cátaros foi o cerco a Montségur, em 1243. Naquela época, a Inquisição já havia provado sua eficácia para eliminar seletivamente os hereges. Depois das condenações nos tribunais inquisitórios, a Igreja usava o “fogo purificador”: de acordo com o discurso oficial, a morte na fogueira seria a única forma de salvar as almas dos cátaros. Encurralados, os cátaros eram colocados diante da seguinte escolha: negar sua fé ou enfrentar a fogueira. De uma forma ou de outra, a religião ia sendo exterminada. Em 1321, foi executado o último sacerdote cátaro conhecido, Guillaume Bélibaste, que havia se refugiado no oeste da Espanha. Cerca de um século depois, já não se ouvia mais falar de seguidores do catarismo. Terminava assim a trajetória dos contestadores que, com humildade de caráter e simplicidade de métodos, haviam conquistado o respeito do povo da mesma forma que os primeiros cristãos haviam feito, 12 séculos antes, na Palestina. Vlw Galera ate:

Postagens populares

Postagens populares